polystyrene

(redirected from Isopor)
Also found in: Thesaurus, Medical, Encyclopedia.

pol·y·sty·rene

 (pŏl′ē-stī′rēn)
n.
A rigid clear thermoplastic polymer of styrene that can be molded into objects or made into a foam that is used as thermal insulation.

pol′y·sty′rene adj.

polystyrene

(ˌpɒlɪˈstaɪriːn)
n
(Elements & Compounds) a synthetic thermoplastic material obtained by polymerizing styrene; used as a white rigid foam (expanded polystyrene) for insulating and packing and as a glasslike material in light fittings and water tanks

pol•y•sty•rene

(ˌpɒl iˈstaɪ rin, -ˈstɪər in)

n.
a polymer of styrene in the form of a clear plastic or stiff foam, used in molded objects and as an insulator in refrigerators and air conditioners.
[1925–30]

pol·y·sty·rene

(pŏl′ē-stī′rēn)
A plastic polymer that is transparent, hard, and rigid. It has a wide variety of uses, including as a solid foam for insulation.
ThesaurusAntonymsRelated WordsSynonymsLegend:
Noun1.polystyrene - a polymer of styrenepolystyrene - a polymer of styrene; a rigid transparent thermoplastic; "expanded polystyrene looks like a rigid white foam and is used as packing or insulation"
cinnamene, phenylethylene, styrene, vinylbenzene - a colorless oily liquid; the monomer for polystyrene
Styrofoam - a light resilient foam of polystyrene
Translations

polystyrene

[ˌpɒlɪˈstaɪriːn]
A. N (esp Brit) → poliestireno m
B. ADJde poliestireno

polystyrene

[ˌpɒlɪˈstaɪriːn]
npolystyrène m
adj [cup, tile] → en polystyrène

polystyrene

nPolystyrol nt; (extended also) → Styropor® nt
adjPolystyrol-/Styropor-; polystyrene cupStyroporbecher m

polystyrene

[ˌpɒlɪˈstaɪriːn] npolistirolo
polystyrene chips → palline fpl di polistirolo
References in periodicals archive ?
Os voluntarios que apresentavam cabelos compridos foi solicitado para prendelos de tal forma que fosse possivel visualizar os pontos demarcados com esferas de isopor (diametro de 25 mm) fixadas a pele por meio de fita dupla face.
As amostras foram identificadas e armazenadas em frascos plasticos de fundo conico (Eppendorf[R]) previamente rincado com heparina sodica e em tubos a vacuo para coleta de sangue (BD Vacutainer[R]) com heparina de litio e transportadas sob refrigeracao em caixa de isopor termica ate os laboratorios de Patologia Clinica da Fazenda Experimental da Universidade Severino Sombra e Cambua Vet Laboratorial, onde o material foi processado para avaliacao dos seguintes parametros: Acido urico, ureia, glicose, triglicerideos, colesterol, calcio e fosforo.
Ellas tenian 5 cm de largo, un par de hojas totalmente expandidas y se mantuveiron em invernadero irrigadas bajo niebla intermitente, en bandejas alveoladas de isopor con 72 celulas (120 [cm.
Em dezembro de 2014, amostras de solo de cada variedade foram coletadas, retirando-se de cada planta amostras de quatro pontos do solo, distantes cerca de 50 cm entre si, na projecao da copa, com o auxilio de um trado, a uma profundidade de 0 a 20 cm, sendo homogeneizadas e acondicionadas em sacos plasticos, em que parte foi armazenada em isopor com gelo e em seguida mantida em laboratorio sob refrigeracao para a quantificacao dos fungos totais (FT) e solubilizadores de fosforo (FSP); e a outra parte, mantida a temperatura ambiente para a quantificacao dos fungos micorrizicos arbusculares (FMA) e do seu percentual de colonizacao radicular.
O teste de emergencia foi conduzido em sistema float, sendo a semeadura realizada em substrato de fibra de coco, previamente umedecido (aproximadamente 1litro de agua kg-1 de substrato), colocado em bandejas de isopor com 200 celulas.
Estacas caulinares semilenhosas foram coletadas em fevereiro de 2011 quando externaram 5,5 mm de diametro e 12 cm de comprimento em media, as quais foram colocadas umidas em caixa de isopor e transportadas para o laboratorio, quando foram lavadas em agua corrente durante 5 min.
Foram coletados, aleatoriamente, 30 frutos dos quatro quadrantes de uma unica matriz, imediatamente apos se desprenderem da planta; em seguida, os mesmos foram transportados para o laboratorio, acondicionados em caixas de isopor e posteriormente separados em lotes.
Apos doze horas de permanencia no local, os baldes foram retirados e os recipientes foram rapidamente tampados e acondicionados em caixa de isopor e em seguida titulados.
As amostras foram colocadas em frascos coletores estereis e acondicionadas imediatamente em caixas de isopor com gelo, sendo depois enviadas para o laboratorio de qualidade do leite da Universidade Federal de Goias, onde foram feitas as seguintes analises microbiologicas: Contagem Bacteriana Total (CBT) e Contagem de Celulas Somaticas (CCS).
Apos a colheita, imediatamente sem refrigeracao os frutos foram acondicionados em caixas de isopor e transportados via terrestre ao laboratorio em um periodo maximo de 48 horas apos coleta.
Verificou-se preferencia em 35 participantes (63,6%) pelo armazenamento em recipiente fechado, em deposito plastico ou isopor, 11 (20%) em outros recipientes, como caixas, sacos e vidros, enquanto 8(14,6%) nao utilizavam nenhum tipo de protecao para a armazenagem da seringa e agulha e 1 (1,8%) nao a reutilizava.